Espiritualidade e Auto-Cura (Parte 1)

Texto adaptado de Horácio Frazão

O corpo possui uma natureza RECRIATIVA, a cada momento temos a possibilidade de reconstruir e reorganizar esse sistema.

Pela autoconsciência ampliamos a consciência e a interação com a teia da vida.

A consciência tem vários ângulos e um deles é o espírito, que viaja na evolução, tendo como experiência psíquica o tempo.

A busca de maior integração com a essência ou o centro do espírito, permite que a consciência superior se experimente em diferentes ângulos, tangenciando a vida para conhecer a verdadeira essência. “A consciência se experimenta através de nós e nós nos experimentamos através da consciência”.

Como princípio de potencialidade a consciência permeia tudo, fora e dentro, do espaço tempo.

A totalidade que é tudo, penetra no espaço tempo, manifestando-se em um número infinito de maneiras de percepção. Sendo assim a consciência não possui localização definida, estando em tudo ao mesmo tempo.

A mente é a interface que promove orientação e organização da expressão do espírito, dentro do espaço tempo.

Conscientizar é movimentar e abrir a percepção, isto é, aumentar o raio de ação e de manifestação. Quanto maior a percepção, maior o PODER.

Enquanto individualidade, detemos uma conjuntura espiritual de potenciais de ação (emoção) e a partir disso somos impelidos a agir, ou seja, expressar-se.

É pela ação, expressão, ato de “escolha”, que podemos detectar e ordenar esses potenciais em conhecimento, nos tornando mais AUTOCONSCIENTES.

Esse processo é a base para a “SABEDORIA”: a compreensão da emoção a partir da observação da experiência gerada pela emoção.

É pela expressão da individualidade que materializamos a existência, procurando compreender cada vez mais a equação: CONSCIÊNCIA = ENERGIA + INFORMAÇÃO.

A consciência por si mesma, detém todas as possibilidades, correlacionando-as infinitamente. Assim podemos ampliar o modelo de consciência a partir de uma nova perspectiva, o campo de possibilidades. (Há sempre novas maneiras de fazer as coisas: PONO).

Em termos científicos, esse campo, seria o manancial que contém o potencial total das leis naturais, UM CAMPO UNIFICADO. O manancial de toda criação, princípio superior, coincidentemente a mesma descrição dos registros e textos antigos.

A informação oriunda da consciência deste campo de potenciais, estabelecem sistemas para a organização coerente no espaço tempo e na matéria, logo, cada espírito desenvolve um conjunto de metas-sistemas, resultando numa espécie de parafisiologia.

A consciência gera um potencial energia, estabelecendo uma conjuntura de informação que chamamos de CODE – Consciência Original Desdobrada em Energia. É uma espécie de código genético transcendental. Representa a assinatura e a característica indelével de cada espírito e todas as possibilidades de experiência. Esse código determinará a manifestação e a orientação do espírito, podendo ser dinamizado e ativado de maneira crescente.

“NÓS SOMOS AQUILO QUE PENSAMOS, COM O QUE PENSAMOS CRIAMOS O MUNDO”.
(Budha)