Relógio do Tempo: Stonehenge

Stonehenge

Segundo o sétimo princípio Huna, PONO, há muitas maneiras de se fazer as coisas e de se olhar a vida. Há sempre uma nova jornada. Estamos sempre em expansão.

Quando os centros de energia estiverem religados com a grande Teia Energética de Luz, uma nova estrada se abre, novas experiência, novas possibilidades.

Imagine-se sob o céu aberto.

O ar está fresco e vivo e o solo está firme e sólido sob seus pés.

Respire profundamente e diga a si mesmo: “estou vivo, estou aqui…”

Focalize a sua vitalidade e viaje para o momento da sua imaginação, como o pintor da sua própria visão interior.

Imagine um círculo de pedras diante de você, como o Stonehenge, e por uns momentos, você se abre para as vibrações de doze megalitos majestosos, eretos e dignos. É um relógio do tempo, um vórtice de energia interdimensional.

Sinta as pedras falarem ao transmitir a experiência do próprio compromisso como consciência, tudo tem “mana”, tudo tem consciência.

Elas, as pedras, tem estado vivas por gloriosas épocas da existência, encobertas, como ossos da Terra.

Caminhe em direção a uma pedra, coloque a mão sobre a superfície e escute com suas células, enquanto espirais douradas abrem caminho, dançando através da pedra, rumo ao “agora”. (MANAWA)

Caminhe de pedra em pedra, rumo ao agora, caminhe de gigante em gigante, experimentando os doze e sentindo a tarefa e a energia monumental que cada pedra preserva.

Transfira essa energia para si, de modo que os ossos de seu ser se encham de espirais douradas.

Agora vá para o centro desse anel de pedra e plante uma semente, que é uma “intenção”, que contenha sua visão da Terra gloriosa e resplandecente. Veja a terra sendo honrada e respeitada por seu povo.

Use o conhecimento que você tem da Luz e da intenção, para ativar essa semente.

Veja o centro do círculo se expandir e a semente crescer, enquanto as espirais douradas giram em todas as direções, passando através das doze pedras, semeando uma nova terra.

Agora, uma voz familiar lhe diz: “Nós somos vocês nas espirais douradas do tempo, repetindo as épocas da existência e chamando a nós mesmos”.

Eleve-se. Seja você mesmo. O verdadeiro você, a essência.