Fragmentos do livro “O Mago de Strovolos” de Kiriacos C. Markides

Eu recomendo que não se preocupem com o modo que os outros os julgam ou com o que eles pensam de vocês. Temam apenas o julgamento do seu próprio eu interior.

Alguém uma vez me perguntou se eu tinha medo de Deus. Eu disse que não, eu amo Deus e tento ser digno do Seu amor. E quanto às pessoas à sua volta? Insistiu meu interlocutor. Não, eu disse. Eu não os julgo e não me importo com a opinião deles sobre mim. Você não tem medo de nada? Eu tenho medo de mim mesmo e não posso enganar a mim mesmo. Quando me sento para meditar e fazer minha análise, meu eu interior perguntará: “O que você disse? O que você fez? O que você deveria fazer e não fez? Quando começamos a ouvir o nosso eu interior, estamos no caminho certo. Não mais criamos elementais maus que estarão flutuando nas esferas etéricas e atormentando aqueles que nos cercam.

O pesquisador da Verdade deve alcançar um estágio no qual ele não cria elementais de desejo-pensamentos mas, em vez disso, elementais construídos conscientemente, que estejam sob seu pleno controle. Quando os elementais saem dele, ele é capaz de governá-los e guiá-los, não importando a distância em que estejam. Tais elementais de pensamento-desejo são mais concretos, mais eficazes e de maior duração. Por isso somos mais responsáveis por eles. Uma pessoa de pensamentos benévolos deve ter certeza de que o que ela constrói recebe as bênçãos das esferas mais elevadas. “Nenhuma prece jamais ficou sem resposta e nenhuma imprecação ficou sem punição.”

– O que acontece, quando enviamos um pensamento bom a alguém que não é receptivo?

– Como já disse antes, segundo a Lei, qualquer elemental que projetamos irá, no final, voltar para nós. No caso de elementais maus, construídos conscientemente ou subconscientemente, a punição é inerente a eles. Quando voltam, eles adquirem maior força e extensão de vida. A pessoa contra quem projetamos um elemental mau será afetada se também vibrar na mesma frequência que nós. De outra forma, o elemental baterá na sua aura e voltará para nós com sete vezes a força original. Este é o tipo de elemental que um Pesquisador da Verdade deve aprender a não criar. Jesus chamou-os de “espíritos mudos e surdos” que saíram do ser humano e, sem encontrar descanso, voltam ao indivíduo, carregando consigo outros do mesmo tipo.

– De modo semelhante, quando projetamos um elemental bom e a pessoa não estiver preparada para recebê-los naquele momento, este baterá em sua aura e voltará para nós.

Só que neste caso, o elemental deixará sua marca na aura da pessoa. Aquela energia estará lá para beneficiar tal pessoa assim que ela esteja preparada para vibrar de forma análoga. Portanto, você deve sempre ter em mente que o bem nunca se perde. E se você ama alguém que a seu ver não merece, não desista ou se desespere. Continue mandando elementais de amor e de bondade. Mais cedo ou mais tarde estes produzirão o efeito na pessoa, nesta ou em próxima encarnações. Lembre-se do que Cristo disse: “amai seus inimigos”. Tenha em mente que aqueles que julgamos ser nossos inimigos são, na realidade, pessoas ignorantes. Para nós, a palavra “inimigo” não existe.

(Na Huna, elemental é conhecido como “forma pensamento”, construído pelo unihipili com matéria pegajosa aka, dando forma ao pensamento.)