Amor, Perdão e Ascensão

Vivemos num tempo acelerado e muitas coisas ficaram mais fáceis, mais leves e mais claras.

Fomos redimidos pelo amor que compartilhamos com a Terra e o universo, bem como pelo amor compartilhado uns com os outros.

Nessa aceleração da Terra para o não-tempo, antigas atitudes não combinam mais e tudo que não estiver baseado no amor está passando.

A ASCENSÃO é tratada mental, física e espiritualmente. O PERDÃO, além de ser espiritual é um processo emocional.

Nos ensinaram erroneamente a separar nossas vidas em compartimentos diferentes. Ouve-se frequentemente as pessoas falarem: “um dia desses vou me espiritualizar, mas agora, meu Deus, tenho que viver minha vida e não tenho tempo para fazer as duas coisas.”

Porém hoje compreendemos que não há nada que se faça que não esteja ligado à nossa jornada espiritual.

O “julgamento” é que é o jogo da separação. Não há nada bom ou ruim, certo ou errado, é o nosso julgamento que os classifica.

A humanidade criou os deuses à sua própria imagem e semelhança e insiste que Deus julga e condena os bons e os maus. Quando verdadeiramente, tudo o que Deus criou é bom.

Todas as religiões baseiam-se originalmente em verdades espirituais e depois as pessoas começam a decidir com que parte dessas verdades elas concordam e acreditam, as que convém e não convém.

Com julgamentos, temores e um grande desejo de estar certo, guerras e atrocidades são cometidas em nome dos deuses.

O fluxo de amor incondicional, a fonte de toda criação, nunca julgou, pois aos olhos do amor não há nada a ser julgado.

Deus concedeu o “livre-arbítrio” à humanidade, a imaginação e o desejo, depois permitiu que ela criasse, com plena compreensão (da parte de Deus) de que a lei Divina consegue equilibrar tudo.

Quando pensamos, criamos: no princípio o amor incondicional dominava e isso era chamado “Éden”. Um dia um filho da Terra começou a imaginar a separação e desejou matar o outro. Depois do crime desejou morrer para equilibrar as coisas.

Atos como estes levaram ao julgamento de si, dos outros e à separação, assim afastando-se da norma do Criador.

A lei Divina pede equilíbrio, portanto estamos agora, completando tudo o que ficou inacabado em outras existências, assim como encontramos tudo que criamos a cada momento.

Deus concedeu liberdade para que possamos lembrar de que somos criadores desse jogo da Terra.

Pensamos em algo e isso acontece, pensamos outra vez e o que pensamos aparece, e se pensamos uma terceira vez, acontece, começamos a compreender que somos criadores da nossa própria realidade.

Então, como perdoar e perdoar-se?

Experimente tornar-se um com a emoção – medo, raiva, julgamento, e abençoe-os. Fique no meio de tudo e peça que Deus em ti, o faça perdoar a dor, o medo e a sua causa.

Lembre que Deus está sempre disposto a libertá-lo se você também estiver.

Eu Superior: 864
Proteção: 888
Auto-cura da alma: 8827465
Paz: 1001105010
Paz e harmonia: 741
Perdoar a si e aos outros: 706