A Natureza do Caminho Interior

Dependemos da natureza não só para nossa sobrevivência física. Também necessitamos da natureza porque nos ensina o caminho para “casa”, o caminho da saída da prisão das nossas mentes.

Nós nos perdemos no “fazer”, no “pensar”, no “recordar” e no “antecipar”.

Estamos perdidos em um complexo LABIRINTO, em um mundo de problemas.

Temos esquecido daquilo que as rochas, as plantas e os animais já sabem.

Nós nos esquecemos de SER! De sermos NÓS MESMOS, de estar em SILÊNCIO, de estar onde a VIDA está. AQUI E AGORA!

Levar sua ATENÇÃO a uma pedra, a uma árvore ou a um animal, não significa “pensar nele”, e, sim simplesmente PERCEBÊ-LOS, dar-se conta deles.

Ao se dar conta disso, você também entra em um lugar de PROFUNDO REPOUSO DENTRO DE SI MESMO. Então, eles lhe transmitirão algo da sua Essência. Você sente o quão profundamente DESCANSA NO SER, completamente UNIFICADO com aquilo que você é e com o lugar onde está.

Quando caminha ou descansa na natureza, honra este reino permanecendo nele plenamente. Serene-se, olhe, escute.

Observe como cada planta e animal são completamente eles mesmos. Diferente de nós humanos, eles não estão divididos em dois. Não vivem através de imagens mentais de si mesmos, e por isso não têm que se preocupar em proteger e potencializar essas imagens.

Todas as coisas naturais além de estarem unificadas, consigo mesmas, estão unificadas com a totalidade. Não se separaram do entremeado da totalidade, reclamando uma existência separada do “EU”, o grande criador de conflitos.

Você não criou o seu corpo, e tampouco é capaz de controlar suas funções corporais. Em seu corpo atua uma inteligência maior que a mente humana. É a mesma inteligência que sustenta tudo na natureza.

Para se acercar ao máximo a esta inteligência, seja CONSCIENTE de seu próprio campo energético interno, sente a vida, a presença que anima o seu organismo.

Quando se percebe a natureza tão somente através da mente, através do pensamento racional, você não pode sentir a sua plenitude de vida, o seu ser.

Unicamente vê a forma e não é consciente da vida que a anima, do mistério sagrado.

O pensamento reduz a natureza a um bem de consumo, a um meio de conseguir benefícios, conhecimento, ou algum outro propósito prático. Observe, sente um animal, uma flor, uma árvore, e veja como DESCANSAM no ser. É uma harmonia, uma sacralidade que além de compreender a totalidade da natureza, também está dentro deles.

Cada um deles é ele mesmo. Possuem uma enorme dignidade, inocência, santidade. No momento em que olha mais além dos rótulos mentais, você sente a dimensão inefável da natureza, que não pode ser compreendida pelo pensamento.

A respiração é natural. O AR que respira é natural como o próprio processo de respirar.

Dirige a atenção á sua respiração e se dê conta de quer não é você quem respira.

Conecte-se com a natureza do modo mais intimo e interno, percebendo a sua própria respiração e aprendendo a manter a sua atenção nela.

Esta é uma prática muito CURATIVA energizante. Produz uma transformação de consciência que lhe permite passar do mundo conceitual do pensamento ao campo da consciência incondicionada. Você necessita que a natureza lhe ensine e lhe ajude a se reconectar com seu SER.

Você não está separado da natureza. Todos somos parte da vida única que se manifesta através das incontáveis formas em todo o universo, formas que estão, todas elas, completamente interconectadas.

Quando você reconhecer a sacralidade, a beleza, a incrível quietude e dignidade nas quais uma flor ou uma árvore existem, você agrega algo a essa flor ou a essa árvore.

Pensar é uma etapa na evolução da vida, a natureza existe em uma quietude inocente que é anterior à aparição do pensamento. Quando os seres humanos se aquietam, vão mais além do pensamento, o silencio que está além do pensamento contêm a dimensão da consciência.

A natureza pode levá-lo a quietude. Este é o presente dela para você. Através de você a natureza toma consciência de si mesma.

Quando você percebe a natureza e se une a ela no campo da quietude ela se preenche da sua consciência. Este é o seu presente para a natureza. É como se a natureza os tivesse esperando durante milhões de anos para fazê-lo.

Xamã Daniel Namkhay