A Carne e a Gestalt

Identidade

Nossa carne se forma em resposta os nossos acordes interiores de nosso ser, e as árvores, pedras, mares e montanhas brotam como o corpo da terra, dos acordes interiores profundos que existem nos átomos e moléculas, que também são vivos.

Devido à cooperação criativa que existe, o milagre da materialização realiza-se tão suavemente e automaticamente que não temos consciência de nossa participação nele.

A tonalidade sensível, é o movimento, a fibra, a viga, a porção de nossa energia dedicada à nossa experiência física. Ora, flui naquilo que somos como ser físico, e materializa-o no mundo de estações, espaço, carne e tempo.

A fonte, entretanto, é muito independente do mundo que conhecemos. Uma vez que adquirimos a sensação de nossa própria tonalidade sensível, teremos consciência do nosso poder, força e durabilidade, e poderemos, até certo ponto, fluir com ele para realidades mais profundas de nossa experiência.

A incrível riqueza emocional e a variedade e o esplendor da experiência física são o reflexo material desta tonalidade sensível, imprime uma direção às nossas vidas, condiciona os eventos e as qualidades de nossas percepções. Preenche e ilumina os aspectos individuais de nossa vida e determina, em grande parte, nossa confiança pessoal.

Ele é a sua essência, sua amplitude tem longo alcance, entretanto. Ele não determina, por exemplo, eventos específicos, mas pinta as cores da paisagem maior da nossa experiência. É a nossa sensação própria, inexaurível, que representa a expressão de nós mesmos em pura energia, da qual emana nossa individualidade.

Cada um é Cada um, a identidade inconfundível que nunca é duplicada.

Agradecimentos ao grupo SETH e ao amigo Luiz Garavello