Ancore-se

Acorde e se ancore: você é luz e tem de cintilar.

Desperte a douta bússola interna que se contorna em coração. Invista-se da esquadra de sonhos que engendrou. Tonifique-se das velas hasteadas que, no autoenfrentamento, conquistou. Esteja fundado na certeza inabalável de que você é um herdeiro do amor.

Ancore a sua ancestralidade. Embeba-se dos passos; sejam eles retos, sejam eles tortos; que trilhou a sua linhagem. Honre, convictamente, aqueles que te antecederam, que teceram estas rijas redes que hoje possibilitam esta sua marcha reluzente. Não se esqueça, amada semente, de semear. Faça-se cultivar, faça-se florear.

Ancore-se de presença. Desfaça-se das ataduras que imobilizam o fluxo autoamoroso, livre-se da pesada máscara que te faz um pedinte de afetos. Acesse em si a fonte inesgotável do autoapreço que no seu cerne há. Veja como é puro e abundante este recurso natural, este amor que no simples Ser circula, renova-se, instala-se. Esta é a energia vital que flui, com harmonia, do seu Eu Superior para cada partícula astral de que você se faz. Expanda a sua paz.

Ancore-se da coragem divina de ser o potencial criativo que, por natureza e direito, você é . Em ti se encontra todo o código da criação, todo o infinito das formas: no progresso dos que vivem com propósito, concentre-se em acessá-las. Em ti prescrevem-se todas as curas para todos os males. Em ti mapeiam-se todas as respostas para todas as questões. Não se afaste do que é fato: você é a Verdade. Com retidão, caminharás.

Ancore-se no seu poder pessoal. Habitue-se a resgatar, diária e repetidamente, a singularidade inerente ao seu modo de dilatar a consciência em tudo e em todos. Ninguém detém a sua espada, ninguém guerreia a sua batalha. São estas suas impressões digitais que imprimem a sua missão. São estes seus impulsos corajosos que te fazem, guerreiro, um missionário da luz.

Ancore a inviolável pureza. Depreenda que, no descamar das máscaras do ego protetor, revela-se a essência; e, de basilar e imprescindível, só há o amor – o autoamor, o amor que se esparge, o amor que transcende. Encorpore-se da delicada e irrefreável natureza cósmica que te alinha e te conecta com tudo o que há. Você é pó de estrela, você é a lua e é o ar.

Ancore-se, manifestação divina. Ancore-se, Deus encarnado. Faça a luz luzir, faça o brilho brilhar. Cumpra a missão, e a missão é transformar.

Canalizado por Ana Flávia Torquetti – 16/10/2017