Lendo Sinais

por Graeme Kapono Urlich
do texto original “Reading Signs
Tradução de Cassio Davi Emer

Eu converso com muitas pessoas que estão adiando para tomar decisões porque elas estão “esperando por um sinal do universo” para dizer-lhes o que deveriam fazer. Ao longo da história há relatos de governantes consultando oráculos. Mesmo hoje em dia no mundo das finanças, negociantes consultam seus gráficos procurando padrões para orientar seus investimentos. Às vezes eles acertam e às vezes não.

O primeiro princípio da Huna é que o mundo é o que você pensa que é, e o pressuposto básico é que criamos toda experiência individualmente, mas ao mesmo tempo, em cooperação com todos e tudo mais. Por essa perspectiva, qualquer “sinal” que encontramos é nossa própria criação, de nossos próprios padrões subconscientes, e qualquer interpretação que aplicamos, bem como qualquer reação emocional que temos a ele, também vem de dentro de nossos próprios padrões.

Prestar atenção conscientemente nos tipos de coisas que mais observamos no mundo, nas coisas a que mais reagimos e na forma como reagimos a elas, pode nos dizer muito sobre nossas crenças e atitudes, o que nos faz feliz ou triste, e o que iríamos mudar ou melhorar dentro de nós mesmos.

Lembrando que tudo o que vemos no mundo é baseado em nossos padrões internos, podemos começar a procurar coisas que refletem qualidades e habilidades que gostaríamos de cultivar dentro de nós mesmos. Podemos usar árvores fortes como símbolos de força e segurança dentro de nosso próprio ser, podemos usar as mudanças que vemos ao nosso redor como um lembrete de que tudo muda, e nos tornar mais confortáveis com esse fluxo.

As pessoas muitas vezes estão desesperadas para ver sinais físicos em seu ambiente, e eles estão em todo lugar se soubermos como enxergá-los, embora parte do meu treinamento incluiu também como não ver sinais em tudo. Muitas vezes as pessoas conseguem seu sinal e então se angustiam com o seu significado, porque parece estar dizendo para não fazer o que eles realmente querem, ou vice-versa.

Às vezes pedimos um sinal do universo e rapidamente algo “fora do comum” acontece. Um amigo meu disse que uma vez ele estava em Kauai in a heiau (templo havaiano) suplicando por um sinal, e de um limpo céu azul, mais ou menos um balde de água banhou o seu rosto. Mesmo com algo tão dramático, a tarefa de interpretá-lo permanece.

Muitas vezes me pedem para ajudar as pessoas a ler sinais e o que as coisas que aconteceram com elas realmente significam. O significado das coisas que acontecem é sempre específico para o indivíduo, por isso a minha abordagem é deixar minha intuição fazer-lhes perguntas sobre os eventos, a fim de ajudá-los a encontrar seu próprio caminho para os seus sentimentos e significados específicos.

Para ler os sinais em nosso ambiente é importante desenvolver confiança na intuição que todos nós possuímos. Algumas ferramentas simples que podemos usar incluem o I Ching, vários oráculos e cartas de anjos, pêndulos, e uma que eu uso muito, lançar pedras. À medida que você desenvolve a habilidade de focar e confiar, as ferramentas físicas tornam-se menos necessárias. Para mim, a fonte mais confiável de sinais tornou-se o meu próprio corpo, minhas próprias reações físicas, emoções e comportamentos. Todas as ferramentas de adivinhação mencionados acima contam com o feedback do nosso corpo para embaralhar as cartas numa ordem significativa, micro movimentos para balançar um pêndulo ou lançar pedras em padrões significativos.

Se estou sentindo uma dor ou aflição, eu investigo o que pode estar por trás dela. Eu posso estar um pouco desidratado, talvez precise ajustar um pouco a minha dieta, ou pode ser algum problema mais profundo que está sendo desencadeado por algum acontecimento do presente momento. Se estou me sentindo cansado ou agitado, talvez de alguma forma eu precise fazer algo quanto ao equilíbrio de íons no meu ambiente físico, ou talvez eu precise lidar com uma decisão que estive postergando. Quando eu tenho uma escolha a fazer, posso verificar em meu corpo, através de suas reações de tensão ou relaxamento, o que eu atualmente acredito sobre as opções que tenho.

Com a prática podemos começar a usar nossos próprios corpos como as bússolas calibradas que eles são para ajudar a navegar em nosso caminho pela vida. Se aprendermos a ouvir e cooperar com ele, com objetivo claro, vamos saber facilmente quais são os melhores alimentos para nós; vamos encontrar nosso caminho para os locais e pessoas mais prestativas, quer seja uma escolha de carreira, ou que estrada tomar em nosso caminho para diversão e aventura. Faça de seu próprio corpo o seu melhor amigo.

Uma vez que nós decidimos que temos os nossos sinais e estabelecemos o significado, é hora de agir de alguma forma.