O Lado Bom da Vida

O Lado Bom da Vida…

Comparando a vida com um objeto com vários lados, escolheria o que ficasse para cima. Esse lado seria o que tomaria sol, chuva; assistira aos espetáculos da natureza, participaria mais do mundo seu redor.

Há pessoas adeptas ao lado de baixo. São as que reclamam de tudo, não suportam tomar a iniciativa, estão sempre dispostos a esperar que alguém o faça por elas, respondam por elas e vivam para elas.

Outras, no entanto, escolhem o lado de dentro. De dentro da casa dos outros, dentro dos assuntos e da vida alheia. Essas pessoas, geralmente, estão sempre se metendo em confusões, por quererem ser o centro das atenções. Jamais se deixam ficar em algum lugar sem participar efetivamente do que acontece.

As que ficam do lado de fora, não gostam de se misturar com ninguém, preferem a solidão construtiva. Estão neste grupo, os artistas, de modo geral, e os que nasceram para trabalhar calados, como os pesquisadores e os cientistas.

Qual seria então o lado bom da vida? Respondo: todos! Bom seria circular por todos os lados. Tal comportamento faz parte da natureza investigativa, participativa que deveríamos ter.

O lado bom da vida é aquele que podemos contribuir com um sorriso, um elogia discreto, um bom-dia verdadeiro, enfim, em todos os lados podemos ser bons companheiros, bons filhos, bons pais e bons vizinhos. Podemos ser simplesmente bons, sem precisar fazer esforço algum.

Se sairmos de casa felizes transmitiremos essa felicidade para quem encontrarmos. Não há como negar um sorriso para alguém que cruza conosco na rua. Não há como não elogiar a mãe que arrumou sua filha, da melhor forma, e a colocou no elevador do prédio com o sorriso até as orelhas. Não há como não sorrir para a dona da cachorrinha com lacinhos de fita nas orelhas a desfilar no calçadão da praia. Toda essa troca de gentileza forma uma corrente de amor que contagia o mundo e deixa a vida maravilhosa, em qualquer lado que estejamos.

Para que serve a cara fechada se o mundo não se curvará para nós? Aliás, nem os animais suportam uma pessoa azeda, infeliz e reclamona. Os animais sentem, há quilômetros de distancia a energia de uma pessoa passada do ponto da felicidade. Por conseqüência, farejam a beleza interior das pessoas de bem com a vida e se aconchegam em seus colos para se protegerem.

Escolha o lado bom da vida, basta pensar com entusiasmo. Entretanto, se por decreto da má vontade, não conseguir encontrar o seu lado é porque você não está disposto a encontrá-lo. O resto fica por conta de sua criatividade e imaginação…

Do livro: Paz, o diamante da alma. Ozeni Lima e Sebastião de Melo