Passeio na brasa

O dourado indescritível da chama,
Em sua sublime e divina dança,
Deslumbra os sentidos e causa medo,
Mostrando-nos o poder do desconhecido.
Seu calor que aquece e também mata,
Transmite-nos o poder da realidade.
Esta efêmera, sutil, poderosa e acolhedora força,
Penetra passo a passo no âmago de nosso ser,
Aquecendo todo o corpo com uma diferente energia.
O vento sopra a chama em nossa direção;
Sua beleza é de uma suavidade tamanha,
Que nos faz perder toda a dúvida e o medo,
Tornando-nos com ela, uma única e só coisa.
Ela desaparece em sua majestade,
Deixando-nos impregnados de seu poder;
Agora, esse poder sou eu também.

O que é tudo isso?
É o Supremo que, atrás da chama,
Em Sua essência manifestada na fonte,
Gera a chama que nos saúda.

Ele é a brasa, a lenha, o carvão, o Todo;
Ele sustenta o fogo com Seu poder divino.
A chama desapareceu; a essência ali está,
Materializada na brasa incandescente,
Na lava que jorra, no incêndio que destrói.
Nós estamos identificados pela chama que soprou.
Eu sou a chama que agora busca a Fonte;
Sinto necessidade de Senti-lo em sua intensidade,
Fundindo-me por um momento em Seu seio.

Os passos são automáticos, a certeza é total.

Eu sou o fogo que purifica, eu sou filho de Deus.
Eu sou o passeio na brasa,
Eu sou o que passou e harmonizou-se,
Eu sou o manifestado aquecido,
Eu sou a imagem e semelhança do Todo.

Eu passiei na intimidade da brasa,
Sentindo o poder que há em mim.
Eu estou em ALOHA; eu também sou fogo;
Eu senti o prazer da brisa suave da chama,
Deliciando-me na harmonia do ser triuno!

Sebastião de Melo

O Conhecimento dos Segredos da Vida