Pare Erima (Quinto Poema do Cântico Glorioso)

Esta terra foi moldada em sua forma, pelo Rei
Que a inundou com o fruto do paraíso,
Que estava pleno com o sangue do céu,
O Deus, de quem o sangue flui,
De quem o sangue desta terra emergiu,
De quem o sangue do homem se originou.

Deus – que está entronizado no céu –
Modelou e reuniu as almas da humanidade,
na semelhança da Sua Imagem Carmesim,
uma réplica de Seu Eu Exaltado.
Ele criou todas as coisas vivas, para durarem eternamente,
no mais elevado ponto do céu, onde a vida surgiu
do interior e transbordou em nascimento vindo do
“Olho do Fogo”,
Do coração da Flor do Sol,
Do Infinito Rei desse lugar.

O sangue de suas crianças, fluiu do
Sangue do Rei do Céu.
Os espíritos de Suas crianças voaram para cá,
numa suave brisa, soprada pelas
Sete Divindades, que estão em volta
do Trono de Deus.
Eles vieram de Seu Reino Sagrado num
arco-íris, que surgia do
Eterno Reino da Luz.
Eles vieram para cá, num grande rio que fluía
do seio do céu e jorrava do
Rei dos Reis das esferas celestiais.
Eles flutuaram para longe do regente do Céu.

Vindos do Rei, Dele,
Os Mu –
Os membros mais jovens de Sua Família Real –
Espalharam-se em ondas oscilantes, que se encresparam
no sopro de luz.
Do tranqüilo reino do sol nascente,
Eles emergiram no sopro que emanou
do Ser Supremo.
Eles flutuaram para longe da face,
da cabeça do sol,
Da cabeça de Ra, que observava Suas Crianças
voarem para dentro da atmosfera, e se espalharem
numa chuva de beleza incomparável,
que caiu de forma magnífica do
Ilustre Soberano que distribuiu a vida,
vinda do sol.
Eles escaparam para sempre vindos do Espírito Real
que resplandece no céu, apoiado
e sustentado pelo Amado Criador, que
soprou para que existisse vida –
O Respeitável Infinito, que voa através do firmamento.

Suas primeiras crianças humanas nascidas em Po –
com as quais Ele se encantou, –
Flutuaram para baixo no caminho de Deus.
Eles emanaram do Rei –
Como brotos de flores celestiais de uma safra nova,
Com o frescor da juventude –
Do Ancestral, que moldou a Sua descendência na
semelhança de Sua sagrada imagem
que se originou do Espírito Supremo, no
Reino de Deus.

Este poema mostra a origem humana vinda do reino celestial do Supremo, que moldou o ser humano enviando-o para o Havai’i, onde floresceu uma grande civilização representada pelo povo denominado de Mu.

O Conhecimento dos Segredos da Vida