Aforismo da Carta Sete

Há um belo conselho para aqueles que estão buscando a verdade, onde quer que ela seja encontrada, no famoso tratado denominado “Luz no Caminho”. Foi publicado em 1885, mas dizem que existia há muito mais tempo e foi escrito em Sanscrito e depois em Grego em forma de aforismos. O que realmente é importante para nós é o seguinte:

“Não a procure em nenhum caminho”.

Para cada temperamento há uma estrada que parece a mais desejável. Mas, o caminho não é encontrado apenas pela devoção, pela contemplação religiosa, por progresso árduo, por trabalho com alto sacrifício e pela estudiosa observação da vida.

Nenhum deles pode sozinho levar o discípulo mais do que um passo à frente. Todos os degraus são necessários para se fazer uma escada. Os vícios do homem se tornam degraus da escada, um a um, enquanto são sobrepujados.

As virtudes do homem também são degraus, na verdade, necessários – e que não podem ser desprezados. Embora sejam inúteis se permanecerem sozinhas, ainda que criem uma bela atmosfera e um futuro feliz, toda a natureza do homem deve ser usada sabiamente por aquele que deseja seguir o caminho.

Cada homem é para si próprio, o caminho, a verdade e a vida. Mas ele só é assim, quando toma sua individualidade firmemente e, pela força de sua vontade espiritual despertada, reconhece a individualidade como não sendo ele próprio, mas aquilo que ele dolorosamente criou para seu próprio uso e, por meio da qual ele propõe, à medida que seu crescimento vagarosamente desenvolve sua inteligência, alcançar a vida além da individualidade.

Quando ele souber que para isso existe uma vida maravilhosa, separada e complexa, então, na verdade, e somente então, ele está no caminho.
Procure-o mergulhando na misteriosa e gloriosa profundidade de seu ser mais interior. Procure-o testando toda experiência, utilizando os sentidos, a fim de entender o crescimento e significado da individualidade e a beleza e a obscuridade dos outros fragmentos divinos que estão lutando lado a lado com você e que formam a raça à qual você pertence. Procure-o pela lei do ser, as leis da natureza, as leis do sobrenatural; procure-o fazendo do profundo obedecimento da alma a suave estrela que brilha interiormente. Firmemente, enquanto você observa e adora, sua luz se tornará mais forte. Então, você pode saber que encontrou o começo do caminho. E, quando você encontrar o fim, sua luz subitamente se tornará a luz do infinito.”

Cartas sobre Huna
Dr. Otha Wingo

O Conhecimento dos Segredos da Vida