Pensamento Positivo

Pensamento Positivo

Livros sobre pensamento positivo (embora às vezes tenham valor), em geral, não levam em consideração a natureza habitual dos sentimentos negativos, as agressões ou repressões, que com frequência, são varridos para baixo do tapete. Não explicam como os pensamentos e emoções causam a realidade.

Os autores destacam que devemos ser:

  • Positivos,
  • compassivos,
  • fortes,
  • otimistas,
  • cheios de alegria
  • e entusiasmados.

Não mostram como podemos sair de uma determinada situação em que nos encontramos, sem revelar o círculo vicioso que parece nos prender, nem levam em consideração os aspectos multidimensionais.

Cada personalidade, embora regida por leis gerais definidas, precisa encontrar e seguir sua própria maneira de adaptar-se a uma situação pessoal.

Exemplos:

  • Se a saúde for precária, podemos remediá-la.
  • Relacionamentos pessoais insatisfatórios, podemos mudá-los para melhor.
  • Viver na pobreza, podemos encontrar-nos cercado de abundância.

Devemos compreender e perceber estes aspectos (ou não), pois perseguimos nossa condição atual com determinação, usando muitos recursos, por fins ou razões que em certa ocasião faziam sentido para nós.

Se nascemos em determinada condição, poderá nos parecer que essas circunstâncias nos foram impostas. Não o foram até certo ponto, podem ser mudadas para melhor, mas é preciso esforço e determinação.

Não somos impotentes para mudar nossos eventos, cada um de nós, independentemente de nossa posição, status, circunstâncias ou condição física, estamos no controle de nossa experiência pessoal.

Vemos e sentimos o que esperamos ver e sentir, o mundo, como conhecemos, é um quadro de nossas expectativas. O mundo como raça humana, é a materialização coletiva de nossas expectativas individuais expressas no coletivo. Filhos vêm de nossos tecidos físicos, o mundo é resultado de nossa criação conjunta.

A existência dos pensamentos e sentimentos negativos não serão maquiadas, nem nossa capacidade de lidar com eles, estão sob nosso controle.

Podem ser usados como trampolins para nossa criatividade.

Agradecimentos ao grupo Meta-física e ao amigo Luiz Garavello

Deixe uma resposta