Seja Criativo, Seja Criador

Para ajudar a Terra a renascer e reivindicar seu corpo de Luz, os belos servidores do Criador, os reinos dévicos e elementais, recebem instruções para infundir na Terra sua força total, com seus elementos de vida:

O “FOGO cósmico”, a força vital da criação.
O “sopro de Deus”, o elemento AR.
O “purificador e sustentador da vida”, o elemento ÁGUA.
E a “base da nossa existência”, o elemento TERRA.

O que muitas vezes vemos como forças destrutivas da natureza, é um processo necessário para restabelecer a saúde e o equilíbrio planetário.

Devemos aproveitar toda oportunidade para ajudar a Terra. Reúnam-se a cada “lua cheia” e meditem com a intenção de permitir o influxo da força vital cósmica, MANA, para que flua através de cada um e dentro da Terra. Nós somos antenas catalisadoras de energia e todos estão dentro do plano da criação.

O solstício de verão é um tempo em que a força vital criativa acessível para o ano, atinja seu pico, um tempo em que temos o potencial máximo para dirigir e moldar os sonhos e aspirações.

Quando nos reunimos num propósito comum, com intenção desinteressada de ajudar na transformação e na reestruturação da Terra, teremos todo o combustível, MANA, e o fogo da criação à disposição.

Juntos podemos mover montanhas, acalmar os mares e os elementos tempestuosos do fogo e do vento.

Invoquem os “devas” sagrados e os preciosos elementais, solicitem sua ajuda.

Assim que tivermos restabelecido um relacionamento com nosso corpo elemental, eu básico, e com o Eu Superior, é o momento de trabalhar em harmonia com as forças elementais da criação.

Deixem a mente analítica, eu médio, de lado por um breve tempo, veja e sinta sua mente consciente de lado, como se ficasse empoleirada no seu ombro. Dê-lhe uma forma, faça-a real.

Conecte-se com o espírito que anima o corpo todo, dê uma forma também ao corpo subconsciente e o veja em uma grande sala, com muitos arquivos e portas fechadas. Dentro desses compartimentos escuros estão as memórias subjetivas que ficaram armazenadas através das idades: medos, sentimentos de fracasso e de falta de amor. Ali estão as energias da rejeição, do abandono, da vergonha e da culpa, os vícios, as fobias que mantiveram-no preso em elos de dor e sofrimento, por um longo tempo de sua experiência terrestre.

Roguem a Divina Presença “Eu Sou” para irradiar um feixe de luz branca cristalina e a chama violeta, através do chakra da coroa.

Veja como essa energia purificadora, transmutadora, enche essa grande sala, conforme você se aventura a abrir as portas e compartimentos.

Veja essa maravilhosa luz permear cada canto, enquanto se inicia o processo de iluminação e equilíbrio de toda energia armazenada ali.

Quaisquer formas-pensamentos ou energias que sejam para o nosso bem maior, permanecem intactas e são intensificadas, e as que não servem mais se dissolvem, criando um caminho para novos pensamentos, desejos e impulsos fortalecidos.

Outro componente desse processo é monitorar e filtrar qualquer nova informação, através da sua área do TIMO ou o seu barômetro da “verdade”.

Se ela parece correta ou expansiva e é fortalecedora, você pode sustentá-la como verdade. Se parece destrutiva e baseada no medo, ponha-a de lado.

Se houver um sentimento de neutralidade, peça orientação, um sinal, através de um sonho, de um livro, de um acontecimento ou de uma pessoa. Espere e a resposta virá certamente.

A Terra é uma expressão do que somos e vice-versa. A mesma luz está criando mudanças em nós e na Terra.

Nosso corpo, assim como o corpo da Terra, estão se alterando vibracionalmente.

A ASCENSÃO do corpo etérico é a conexão com o EU SUPERIOR.

IKE LA’A KEA