O Corpo Templo

Existem informações codificadas em nossas células, DNA, memórias guardadas em cada fibra, em cada músculo e em todos os sistemas. E a medida que refinamos essa percepção de nós mesmos, teremos livre acesso a todos os lugares desse universo interior. Mergulhe nesse processo.

“O reino dos céus”, a muito nos foi contado: “o reino dos céus está dentro de nós”, e a chave está em nossas células.

Então, conversar com cada parte do corpo é de suma importância, aprender a entender como cada órgão fala, através dos sintomas.

Aquietar a mente o suficiente para ouvir o que o corpo templo tem a dizer. Cada órgão, cada parte, tem uma parte do funcionamento desse veículo de manifestação neste plano.

Se amarmos e respeitarmos esse templo, podemos sim, conversar com cada parte e ouvir suas respostas.

Você concorda que já é hora de agradecer ao coração, por ele bater regularmente 60 a 70 vezes por minuto? Então digamos a ele: Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

Ele também é fonte de muita emoção e permite-nos amar e sermos amados. Digamos então: sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

Somos uma trindade e Unihipili cuida do funcionamento de todo universo corpo.

Somos um universo de seres, cada um executando seu trabalho para a harmonia do todo.

Você considera que existe apenas um de você? Você é uma raridade. Agradeça a alegria de sua exclusividade: sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

Seus rins precisam de amor, sua glândula pineal precisa de luz, sua mente precisa de estímulo. IKE LA’A KEA.

Vamos falar com o fígado, com o pâncreas, com a pele que delimita o interno e o externo.

Vamos nos amar independente de qualquer coisa. O que importa é focar o agora. Foca, agora sua dificuldade, seja ela interna ou externa e diga com sua personalidade atual: sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

Você é um observador, olhando tudo que lhe acontece.

Você se perdoa pela falta de conhecimento, pela falta de tempo e ecoa para o universo: sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

Não é mais tempo de culpar situações externas. Você já compreendeu que é 100% responsável por tudo que lhe acontece.

Olhe para a sua integralidade e diga: sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

Nesse momento tem algo que o incomoda? Do que você se alimenta em todos os corpos ou níveis? Porque criou essa realidade? O que acontece se você sair de vez dessa situação que o incomoda? Porque você não tem o que mais deseja?

Agora… não pense mais, sinta-se no processo de “fluir”, deixe que um estado espiritual especial seja a base de sua consciência.

Entregue-se ao estado de bem-aventurança, para que tudo seja BOM.