Eu Superior Aumakua

“Eu Superior que eu amo e que sei também me amar, abre a minha senda para Ti…”

Na prece Huna, o ser triuno, o Eu Superior Aumakua é a divindade em nós, o “EU SOU”, a essência Divina.

A medida que amplia-se essa consciência/luz, a alma passa a ver sua identidade e conhecer sua realidade, buscando a pureza do Eu Superior no seu interior, renascendo para si mesma, do mais profundo e do mais denso de sua materialidade.

Alcança então a não dualidade, por um conhecimento superior, uma supraconsciência, um modo novo de ser e de vivenciar a grande aventura que é a vida.

Esse nível de consciência ou frequência é capaz de mediar o visível e o invisível, entre a matéria e o espírito, entre o interior e o exterior, tecendo sem cessar o fluido etérico que dá forma aos organismos, condensando-se, transformando-se, refinando-se, utilizando-se infinitamente para tornar-se homogênea com todas as cintilações, com todas as fosforescência, com tudo quanto existe, inclusive nossos pensamentos.

O pensamento que gera a ação, que faz pressentir em si mesmo um abismo de trevas e de luz, um sentimento de animalidade e de pureza real, uma ânsia incômoda de identidade e um anelo de amor infinito.

Tal paradoxo ainda tão presente e que provoca dúvidas, sobre a onipresença do apelo divino em muitas criaturas ainda imersas e interessadas apenas no plano da matéria.

Convém recordar que a “iluminação” é sempre pessoal, mas incontestável e chegará, um dia, para a humanidade, como uma UNIDADE.

Como diz o livro “Muitas Vidas, Muitos Mestres”:

“Quanto mais profundamente nossa prática de meditação nos leva, mais nos distanciamos do plano físico das aparências e tentações, da importância que damos as frustrações, aos rancores e ressentimentos, e mais nos envolvemos com o Eu Superior (Aumakua), com sua infinita capacidade de Amar.”